Reciprocidade – PNL

Tempo de leitura: 3 minutos

Reciprocidade

 

Você já passou pela situação em que se sentiu quase que no dever de fazer algo por alguém, mesmo não tendo nenhuma obrigação clara sobre disso. Ou algumas vezes, você recebeu um favor de alguém, do nada, e você ficou sem entender o que estava acontecendo, e além de receber o favor a pessoa ainda lhe agradeceu muito, informando a você de um antigo ou recente favor ou alguma espécie de ajuda que um dia você fez para está pessoa. 

 

4b


Muitas vez passamos por situações que nos sentimos na obrigação de fazer algo por alguém, simplesmente por
que está pessoa fez algo muito bom para nós, ou uma simples ajuda. Lembrando aquele ditado “Uma mão lava a outra”, e um ajudando o outro todos crescemos. Seria mais ou menos isso. Existe um gatilho muito poderoso é o da “Reciprocidade”. Um gatilho muito eficaz quando falamos de receber um favor de alguém.
Quando recebemos um grande favor, ou uma ajuda que foi para nós de bom grado, ficamos com um sentimento de que deveríamos fazer algo em troca, não só agradecer. Isso porque não gostamos de ficar na divida com ninguém. Mesma a pessoa falando um milhão de vezes que foi de coração e e ajudou muitas vezes. Mas não queremos um dia ver está pessoa ou pessoas e saber que ela nos ajudou e nada fizemos por ela. Nos sentimos como se fossemos até inferior a está pessoa, porque ela vez algo por você e não retribuiu.

Um outro grande exemplo disso, é quando nós recebemos um elogio, quase que instantaneamente nós queremos devolver na hora. Isso porque não queremos deixar a pessoa sem uma palavra do mesmo nível. Ou seja, também elogiamos de volta para não ficarmos na divida e não deixar a gentileza de outra pessoa sem um retorno a altura. 
E você pode ativar este gatilho da melhor maneira possível,  simplesmente usando o seu poder de comunicação a seu favor, com a intenção genuína de ajudar a outra pessoa. Como isso: Enquanto estiver em uma conversa, tente fazer com que a pessoa diga coisas sobre a vida dela, isso no profissional como na pessoal também. Por isso: Em algum momento ela vai falar sobre algo que não está bom naquele momento, e vai ser exatamente ai que você entra para ajudá-lo, com um conselho, ajuda com um convite que vai ajudar muito. Neste momento você só vai atuar se for algo que realmente conheça para não ficar como uma pessoa que não sabe o que fala.

Então seja logo proativo e tente da melhor forma e genuinamente ajudá-lo. Caso sua ajuda seja bem vinda e aproveitada, tenha certeza que neste exato momento é bem provável, que a pessoa diga “Estou em divida com você” ou “lhe devo uma”. Simplesmente por que você ajudou-a. 
Mas sempre tente identificar algo de valor para a pessoa, muitas vezes ela tem algum problemas mas pouco isso impacta na vida dela. Então procure ajudar, em algo que realmente será impactante. Porque internamente fica aquela vontade de também ajudar-lhe na primeira oportunidade que for possível. Não tenha intenção de nada, na hora da ajuda para que fique bem claro a pura intenção. O gatilho da “Reciprocidade” tem que surgir bem naturalmente na pessoa, sem que ela entenda que você ajudou-a com a intenção de pedi algo em troca.

 

Espero que tenha gosto, e muito obrigado.

Viva sem limites,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *